Notícias

/artigo

Role para baixo e veja mais

Programa Brasil Mais realiza webinar para Apoiadores Institucionais

Evento reuniu cerca de 55 entidades e conselhos de classe, associações, confederações e federações de empresas de todo o país

O Brasil Mais promoveu, nesta quarta-feira (14), webinar com cerca de 55 entidades e conselhos de classe, associações, confederações e federações de todo o país, para buscar apoiadores institucionais. O programa do governo federal tem a meta de atingir 120 mil empresas até o final de 2022. O Brasil Mais oferece às micro, pequenas e médias empresas soluções para melhorar a gestão, inovar processos e reduzir desperdícios, com ferramentas de baixo custo e alto impacto.

Para o secretário Especial da Secretaria de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, levar o programa a um número amplo de empresas em todo o país pode significar a capacitação de dois milhões de empresários nas 27 unidades da federação.

“Temos hoje um desafio extraordinário de aumentar a produtividade das nossas micro e pequenas empresas que, por um lado, enfrentam um Custo Brasil gigantesco – que já conseguimos reduzir em cerca de 20%, mas queremos reduzir muito mais -, e, por outro, a falta de apoio para que se profissionalizassem, se digitalizassem, o que fez com que essas empresas ficassem abandonadas por décadas”, disse o secretário.

De acordo com ele, o Brasil Mais veio para dar um salto nesse sentido. Além de trabalhar capacidades produtivas e gerenciais, e avançar na transformação digital e na economia 4.0. “Só que queremos fazer isso em grande escala. E acreditamos que essa transformação só vai acontecer se a gente conseguir setorizar e regionalizar, começando pela divulgação. Daí a importância dos apoiadores institucionais”.

Carlos Da Costa destacou que os apoiadores também serão fundamentais para que o programa se aprimore e se adapte às realidades das empresas participantes, transformando a região onde a entidade atua. 

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, afirmou que a saída para o Brasil está no aumento da produtividade e o aumento da produtividade passa pela educação. Para ele, as metodologias do Sebrae e do SENAI ajudam, inclusive, a queimar etapas, e, por isso, trazem resultados tão positivos ao programa Brasil Mais.

“Por isso fazemos esse chamamento hoje. A complementariedade de segmentos da sociedade para nos ajudar a queimar ainda mais etapas e multiplicar o atendimento do programa”, disse.

O diretor geral do SENAI, Rafael Lucchesi, ressaltou que o Brasil Mais, ao chegar nos pequenos negócios, cria uma lógica de transbordamento de competitividade para o tecido empresarial brasileiro. “O programa tem resultados robustos e mostra que a política pública se baseia em evidências. E está inserido no desafio da digitalização das empresas. Nosso sistema empresarial precisa dessas ferramentas”.

Ele explicou sobre o modelo usado pelo SENAI nas indústrias – a Mentoria Lean – que permite que os empresários construam o seu processo. A partir daí, segundo Lucchesi, eles vão sendo capacitados e modelam seu processo estratégico, de tal forma a encontrar as soluções.

Em sua fala, o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet, destacou a necessidade de as empresas buscarem a inovação e o aumento da produtividade. “Precisamos dar um choque de competitividade em todas as esferas. O programa Brasil Mais, que é rápido, completo, e dá resultados, se propõe a isso”.

Calvet pediu o apoio das associações presentes para ingressarem no programa como apoiadoras institucionais. “É um projeto de transformação digital. E que precisa redefinir estratégias empresariais. Precisamos incorporar à cultura das empresas tecnologias digitais, otimização de produtos, processos e operações e também qualificar as pessoas. Por isso pedimos o apoio de vocês”.

Assista aqui o webinar Brasil Mais - Apoios Institucionais.